Pesquisar neste blogue

segunda-feira, abril 29, 2013

Batalhas e Combates-1800 II

Costa do Ceará
(13 de Junho de 1800)


Em meados de Maio (?) de 1800, largou de Belém do Pará, possivelmente com destino ao Recife, um comboio constituído por vários navios mercantes, sob a escolta do bergantim ‘Espadarte’, ao comando do Capitão-tenente Nicolau Wolf. A 29 à passagem pelo Maranhão, juntou-se-lhe o bergantim ‘Minerva’ de 10 peças de artilharia, de que era comandante o Primeiro-tenente Luis da Cunha Moreira. A 12 de Junho apareceu um corsário francês, provavelmente um navio de pequeno porte, que tentou atacar o comboio, sendo repelido pelos dois bergantins. A 13 apareceu outro corsário, desta vez uma fragata francesa de 40 peças de artilharia, Wolf colocou os bergantins entre os navios mercantes e o inimigo e ficou á espera, aguardando a investiga deste. Aproximando-se até curta distância dos navios portugueses o corsário tomou por alvo o ‘Minerva’, com o qual travou um renhido combate através de um duelo de artilharia que se prologou por mais de três horas. Apesar de o seu navio ser de muito menor força que o adversário, o tenente Cunha Moreira, não se rendeu e continuou a bater-se com inexcedível galhardia até se lhe acabarem as munições. Nessa altura o ‘Minerva’ se estava a afundar lentamente, com o casco arrombado em vários lugares, os mastros quebrados e o aparelho desfeito. Uma resistência como raramente se terá visto outra igual. Entretanto Wolf ao verificar que a fragata francesa estava empenhada a fundo no combate com o ´Minerva’ resolvera seguir em frente com o comboio, provavelmente na intenção de salvar os navios mercantes confiados à sua guarda, bem como o seu próprio navio. Terminado o combate com o ‘Minerva’, a fragata foi em perseguição do comboio, tendo conseguido capturar dois dos seus navios, por certo os mais ronceiros. Depois voltou atrás e recolheu os tripulantes do ‘Minerva’ que entretanto, já havia sido engolido pelas águas.

Mais tarde Nicolau Wolf foi julgado em Conselho de Guerra e condenado por não ter acorrido em socorro do outro bergantim. O combate do ‘Minerva foi um dos mais gloriosos da História da nossa Marinha durante o período da dinastia de Bragança   

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.