Pesquisar neste blogue

segunda-feira, setembro 15, 2014

Navios da Armada Real de 1638-1910 XIII


LANCHAS-CANHONEIRAS


1. "Loge"
Lancha-canhoneira de aço do tipo da "Noqui", de 40t, de deslocamento, comprada em Inglaterra em 1887 para servir no Zaire.
Armou com uma pequena peça Canet e uma metralhadora N. de 12 canos.
Dispunha de duas rodas propulsoras.
Em 1896 desarmou.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1887 a 1896.

2. "Noqui"
Lancha-canhoneira do tipo da "Loge" comprada em Inglaterra em 1887 para servir no Zaire.
Em 1896 desarmou.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1887 a 1896.

3. "Cherim"
Lancha-canhoneira de aço do tipo da "Cuama" comprada em Inglaterra em 1889 para servir nos rios de Moçambique.
Navio de uma roda propulsora que deslocava 34t.
Montava dois canhões-revólveres e duas metralhadoras.
Prestou serviço na esquadrilha do Zambeze com a "Cuama".
Em 1903 foi abatida com a "Cuama".
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1889 a 1903.

4. "Cuama"
Lancha-canhoneira do tipo da "Cherim" adquirida em Inglaterra em 1889.
Serviu na esquadrilha do Zambeze.
Foi abatida em 1903.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1889 a 1903.

5. "Maravi"
Lancha-canhoneira de aço e de boca aberta e 12t adquirida para o serviço da província de Moçambique em 1889.
Montava duas metralhadoras e dispunha de duas rodas propulsoras.
Prestou serviço no Zambeze.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1889 a 1891.

6. "Cassine"
Lancha-canhoneira de aço e fundo chato que em 1890 operava no Zambeze com a "Maravi".
Dispunha de duas rodas propulsoras a ré.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos em 1890.


7. "Xefina"
Lancha-canhoneira adquirida em 1890 para servir nos rios de Moçambique.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1890 a 1896.

8. "Flecha"
Lancha-canhoneira de aço construída em Inglaterra em 1890 para servir na Guiné.
Era navio de duas rodas laterais idênticas à "Zagaia".
Em 1902 desarmou e foi entregue à província da Guiné no ano seguinte.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1890 a 1902.

9. "Zagaia"
Lancha-canhoneira de aço de rodas laterais construída em Inglaterra em 1890 com a "Flecha".
Armava com um canhão-revólver e uma metralhadora.
Em 1899 foi condenada por inútil.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1890 a 1899.

10. "Carabina"
Lancha-canhoneira de aço do tipo da "Sabre" de 53t comprada em Inglaterra em 1891 para servir no lago Niassa.
Dispunha de hélice propulsor.
Montava dois canhões-revólveres e uma metralhadora.
Foi notável a viagem da "Carabina" e da "Sabre" de Quelimane para Lourenço Marques em 1895.
Em 1908 foi abatida ao efectivo da Armada.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1891 a 1908.

11. "Granada"
Lancha-canhoneira de 24t e de duas rodas laterais construída em Inglaterra em 1891 para servir nos rios de Moçambique.
Armava com um canhão-revólver e uma metralhadora.
Era do tipo da "Obus".
Em 1908 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1891 a 1908.

12. "Obus"
Lancha-canhoneira de aço do tipo da "Granada" adquirida em Inglaterra em 1891.
Em 1907 foi mandada abater ao efectivo.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1891 a 1907.

13. "Sabre"
Lancha-canhoneira idêntica à "Carabina", que foi construída em Inglaterra em 1891.
Navio de aço e de hélice.
Montava uma peça revólver e uma metralhadora.
Em 1908 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1891 a 1908.

14. "Bacamarte"
Navio comprado na África do Sul em 1894 para serviço da província de Moçambique.
Montava um canhão-revólver e uma metralhadora.
Fez serviço no rio Incomati com o vapor "Neves Ferreira", contribuindo para a vitória de Marracuene.
Em 1897, indo a reboque de Lourenço Marques para Quelimane, afundou-se no canal de Moçambique.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1894 a 1897.

15. "Capelo"
Lancha-canhoneira de 40t construída em Inglaterra em 1895 para servir no rio Inharrime, em Moçambique.
Fora encomendada em 1894.
Dispunha de roda propulsora à popa.
Era igual às lanchas "Ivens", "Lacerda" e "Serpa Pinto".
Montava dois canhões-revólveres e duas metralhadoras.
Na esquadrilha do Limpopo contribuiu grandemente para a rendição e prisão do Gungunhana.
Em 1908 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1894 a 1908.

16. "Diogo Cio"
Lancha-canhoneira de 44t que foi lançada à água em Lisboa em 3 de Outubro de 1895.
Dispunha de duas rodas propulsoras laterais.
Montava um canhão-revólver e duas metralhadoras.
Era idêntica ao “Pedro de Annaia".
Fez serviço na esquadrilha do Zambeze.
Em 1910 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1894 a 1908.

17. "Honório Barreto"
Lancha-canhoneira de ferro de 80t que foi lançada à água em Lisboa em 13 de Março de 1895.
Montava duas peças de tiro rápidas H e uma metralhadora.
Dispunha de duas rodas propulsoras.
Fez serviço na esquadrilha da Guiné.
Em 1905 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço Real na Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1895 a 1905.

18. "Incomati"
Pequeno rebocador adquirido em Durban em 1895 para a campanha do Gungunhana.
Em 1897 foi abatido ao efectivo.
Esteve ao serviço Real na Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1895 a 1897.

19. "Ivens"
Lancha-canhoneira de aço de 40t construída em Londres em 1895.
Era do tipo da "Capelo".
Armava com duas bocas-de-fogo.
Fez serviço na esquadrilha de Gaza.
Em 1906 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço Real na Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1895 a 1906.

20. "Lacerda"
Lancha-canhoneira de aço de 40t construída em Inglaterra em 1895 para serviço no rio Incomati, de Moçambique.
Era do tipo da "Serpa Pinto".
Montava dois canhões-revólveres.
Tomou parte importante nas operações contra o Gungunhana.
Em 1906 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço Real na Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1895 a 1906.

21. "Magaia"
Rebocador comprado em Zanzibar em 1895 para servir nos rios de Moçambique.
Fez serviço na flotilha do Incomati.
Foi abatido à volta de 1899.
Esteve ao serviço Real na Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1895 a 1899.

22. "Pedro de Anaia"
Lancha-canhoneira de aço do tipo da, "Diogo Cão" que foi lançada à água em Lisboa em 3 de Outubro de 1895.
Em 1908 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1895 a 1908.

23. "Serpa Pinto"
Lancha-canhoneira de aço construída em Londres em 1895 para serviço no rio Incomati.
Deslocava 40t e era precisamente igual à "Lacerda".
Em 1907 desarmou.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1895 a 1907.

24. "Marracuene"
Lancha-canhoneira de aço de 20t adquirida em 1897 para os rios de Moçambique.
Armava com um canhão-revólver e dispunha de dois hélices.
Em 1908 foi abatida ao efectivo.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1897 a 1908.

25. "Chuabo"
Navio de madeira adquirido em 1898 para serviço nos rios de Moçambique.
Era navio de hélice de 10t de deslocamento e armado de uma metralhadora.
Em 1903 foi abatido ao efectivo.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1898 a 1903.

26. "Cacheu"
Lancha-canhoneira de aço de 40t comprada em Hamburgo em 1901 para serviço na Guiné.
Montava um canhão-revólver e duas metralhadoras.
Era do tipo da "Farim, de dois hélices".
Tomou parte em operações de guerra na Guiné.
Em 1915 foi abatida ao efectivo, juntamente com a "Zagaia".
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1901 a 1910.

27. "Farim"
Lancha-canhoneira do tipo da "Cacheu", comprada em Hamburgo em 1901 para serviço na Guiné.
Tomou parte em operações de guerra na Guiné.
Em 1907 desarmou.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1901 a 1907.

28. "Sena"
Lancha-canhoneira de aço de 70t construída em Lisboa em 1903 para serviço nos rios de Quelimane.
Dispunha de roda propulsora à popa.
Era do tipo da "Tete".
Montava dois canhões-revólveres e uma metralhadora.
Em 1917 foi abatida por inútil.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1903 a 1910.

29. "Tete"
Lancha-canhoneira de aço que foi lançada à água em Lisboa em Dezembro de 1903.
Era do tipo da "Sena".
Em 1917 perdeu-se no rio Zambeze por explosão da caldeira.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1903 a 1910.

30. "Rio Minho"
Lancha-canhoneira "Infante D. Manuel" de 38t que foi lançada à água em Lisboa em 2 de Novembro de 1905 para serviço no rio Minho.
Era navio de aço.
Dispunha de duas rodas propulsoras.
Em 1948 foi mandada abater por inútil no rio Minho.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1905 a 1910.

31. "Cunene"
Lancha que em 1909 fazia serviço no rio Cunene.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos em 1909.

32. "Macau"
Lancha-canhoneira de aço de 135t métricas construída em Glasgow e lançada à água em Kowloon em 7 de Julho de 1909 para serviço em Macau.
Montava duas peças H. e três metralhadoras.
Os hélices trabalhavam em túnel.
Desempenhou várias comissões nos mares da China, até ser tomada pelo Japão em 1945.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1909 a 1910.

33. "Zagaia"
Lancha-canhoneira adquirida em Inglaterra para servir na Guiné que foi lançada à água em Bolama em 6 de Outubro de 1909.
Era navio de aço de uma hélice do tipo da "Flecha".
Em 1915 foi abatida ao efectivo com a "Cacheu".
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1909 a 1910.

34. "Flecha"
Lancha-canhoneira idêntica à Zagaia que foi construída em Inglaterra em 1909 para serviço na Guiné.
Montava três metralhadoras e dispunha de hélice.
A última notícia é de 1930.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1909 a 1910.

VAPORES E REBOCADORES


1. "Jorge IV"
Navio de madeira e de rodas adquirido à Inglaterra em 1833.
Foi o primeiro vapor de rodas da nossa Armada Real.
Em 16 de Fevereiro de 1836 passou a denominar-se "Napier".
Tomou parte nas lutas liberais no mar e desempenhou várias comissões na costa como transporte.
Em 1839 foi desmanchado por inútil em Lisboa.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1833 a 1839.

2. "Lord das Ilhas"
Navio de madeira e de rodas capturado em S. Martinho pelos liberais em 1833.
Era o vapor inglês "Lord of Isles".
Em 16 de Fevereiro de 1836 passou a chamar-se "Terceira".
Desempenhou várias comissões na costa.
Em 1856 foi abatido e em 1860 foi mandado servir de pontão.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1833 a 1839.

3. "Napier"
Vapor "Jorge IV", que teve aquele nome em 1836.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1836 a 1839.

4. "Terceira"
Vapor "Lord das Ilhas", que teve aquele nome em 1836.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1836 a 1856.

5. "Conde do Tojal"
Vapor de rodas construído em Inglaterra em 1845 por conta do Ministério da Fazenda.
Dispunha de uma máquina de 110 cv e armou com quatro peças.
Empregou-se na fiscalização aduaneira.
Em 1856 passou mostra de desarmamento.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1845 a 1856.

6. "Duque do Porto"
Vapor de rodas comprado em Inglaterra em 1845 para a fiscalização aduaneira.
Armou com cinco peças.
Desempenhou várias comissões como transporte na costa.
Em 1846, ao serviço da Junta Revolucionária do Porto, perdeu-se na barra do Douro.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1845 a 1847.

7. "Mindelo"
Vapor de rodas laterais de 604t que foi lançado à água em Inglaterra em 7 de Agosto de 1845.
Foi o primeiro navio de vapor especialmente construído para a Armada Real.
Armou com quatro peças e dois rodízios.
Em 1862 foi aumentado de 75 m o seu comprimento.
Actuou várias vezes como iate real.
Em 1872 passou mostra de desarmamento, sendo vendido em 1878.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1845 a 1872.

8. "Vila Flor"
Pequeno vapor que em 1846 fazia serviço na província de Moçambique.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos em 1846.

9. "Porto"
Vapor de rodas que em 1847 foi utilizado no bloqueio do Porto, sendo no mesmo ano entregue aos proprietários.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos em 1847.

10. "Infante D. Luís"
Vapor de rodas comprado em Inglaterra em 1847.
Em 1847 foi tomado pela Junta Revolucionária do Porto.
Empregou-se principalmente como transporte.
Em 1863 desarmou.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1847 a 1867.

11. "Duque de Saldanha"
Vapor de rodas de 606t adquirido em Inglaterra em 1852.
Em 1853 largou para Angola como transporte.
Em 1854 perdeu-se por encalhe na costa da Torreira.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1852 a 1854.

12. "Argus"
Vapor de hélice de 395 t métricas construído em Inglaterra em 1852 com o vapor similar "Lince".
Foram os dois primeiros vapores de hélices construídos para a nossa Marinha.
Desempenhou na costa comissões de fiscalização aduaneira.
Em 1877 foi mandado passar ao estado de desarmamento.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1852 a 1877.

13. "Lince"
Vapor de hélice construído em Inglaterra em 1852 com o vapor "Argus" para ambos serem empregados no serviço de fiscalização aduaneira.
Em 1875 passou mostra de desarmamento e em 1877 foi mandado entregar à Alfândega de Lisboa.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1852 a 1877.

14. "Zambeze"
Vapor de hélice construído em Inglaterra em 1865 para a província de Moçambique.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos em 1865.

15. "Quelimane"
Vapor holandês comprado em Moçambique em 1868 para serviço da província.
Deslocava 190t e fora construído em Hamburgo naquele ano.
Em 1879 passou mostra de desarmamento e no ano seguinte fez entrega dos objectos da Fazenda ao Depósito da Estação Naval de Moçambique.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1868 a 1880.

16 "Sena"
Vapor de rodas de 74,3t construído em Inglaterra em 1871, juntamente com o navio similar "Tete".
Fez serviço em Moçambique.
Em 1879 passou mostra de desarmamento em Moçambique.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1871 a 1879.

17. "Tete"
Vapor de rodas construído em Inglaterra em 1871, juntamente com o navio similar "Sena".
Foram notáveis as viagens de Inglaterra para Lisboa e daqui para Moçambique dos dois navios.
Em 1879, em Moçambique, foi dado por incapaz.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1871 a 1879.

18. "Auxiliar"
Vapor de dois hélices e de 180t comprado à volta de 1878 para a pilotagem do rio Quelimane.
Parece que ainda existia em 1896.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1878 a 1896.

19. "Guiné"
Vapor de rodas de 139t comprado em Lisboa em 1879 para o serviço da Guiné.
Armava com dois rodízios.
Em 1879 seguiu viagem para a Guiné e entrou ali em operações de guerra contra o gentio.
Em 1883 perdeu-se por alquebramento junto da ponte-cais de Bolama.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1879 a 1883.

20. "Fulminante"
Vapor de hélice de 78t construído em Inglaterra em 1880 para o serviço da Escola de Torpedos de Paço de Arcos.
Em 1909 desarmou, em 1910 foi abatido e em 1913 foi vendido.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1880 a 1910.

21. "Vilhena"
Vapor de dois hélices e 159t que foi lançado à água em Inglaterra em 14 de Janeiro de 1882.
Fez serviço em Angola.
Em 1916 desarmou.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1882 a 1910.

22. "D. João I"
Vapor de hélice utilizado na fiscalização do distrito de Timor desde 1883.
Em 1887 afundou-se em Díli.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1883 a 1887.

23. "Lidador"
Rebocador de hélice de 252t de deslocamento construído em Inglaterra em 1884.
Depois de desempenhar serviço de rebocador em Portugal, passou à fiscalização da costa no Algarve.
Em 1943 passou ao Comissariado da Mocidade Portuguesa e em 1950 foi abatido por inútil. Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1884 a 1910.

24. "Visconde da Praia Grande de Macau"
Vapor de 92t métricas de deslocamento comprado em Inglaterra para a Corporação dos Pilotos da Barra de Lisboa.
Em 1885 passou ao serviço de Cabo Verde.
Em 1887 desarmou.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1884 a 1887.

25. "Búfalo"
Vapor adquirido para a província de Moçambique em 1891.
Ainda prestava serviço em 1896.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1891 a 1896.

26. "Dilly"
Vapor de 100t métricas de deslocamento que foi adquirido para Timor em 1891.
Fora construído em 1884.
Em 1905 foi abatido por inútil.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1891 a 1905.

27. "Maqua"
Pequeno vapor da província de Moçambique, pelo menos desde 1891.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1891 a 1893.

28. "Mineiro"
Vapor de 78t construído no Ginjal para ser utilizado no fundamento de minas.
Em 1902 passou ao Ministério da Guerra.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1892 a 1902.

29. "Neves Ferreira"
Vapor de 144t de deslocamento adquirido no Natal de 1893 para o serviço da província de Moçambique.
Fora construído em Inglaterra em 1882.
Tomou parte importante na campanha do Gungunhana.
Em 1900 desarmou para fabricos.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1893 a 1901.

30. "Baptista de Andrade"
Vapor de 150t de deslocamento, construído em Nantes em 1897 para o serviço de balizagem do porto de Lourenço Marques.
Em 1908 foi mandado passar ao estado de completo desarmamento e mandado, abater no ano seguinte.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1897 a 1909.

31. "Bérrio"
Rebocador de deslocamento normal de 424t que foi construído em Saint-Nazaire em 1897.
Depois de desempenhar serviço de rebocador, passou em 1930 a navio-hidrográfico com o mesmo nome.
Foi navio-hidrográfico de Moçambique de 1930 a 1947.
Nesta data foi entregue à província de Moçambique.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1897 a 1910.

32. "General Marinho"
Rebocador da província de Moçambique que em 1904 passou ali a navio-hidrográfico.
Em 1908 foi julgado incapaz para o serviço hidrográfico.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1904 a 1908.

33. "Dilly"



Vapor adquirido em Hong-Kong em 1909 para a província de Timor.
Em 1915 desarmou completamente.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos de 1909 a 1910.

34. "Vulcano"
Vapor de 131,19t métricas de deslocamento normal que foi lançado à água em Inglaterra em 5 de Abril de 1910.
Destinava-se ao serviço da Escola de Torpedos.
Em 1946 foi classificado como draga-minas.
Em 1954 foi vendido por inútil.
Esteve ao serviço na Real Marinha de Guerra Portuguesa pelo menos em 1910.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.